Fake Media ou Social Media?

Quando falamos de América Latina, o Brasil é uma das empresas que mais consome redes sociais, são milhões de brasileiros que utilizam das redes para se conectarem e para consumir todos os dias. Para as empresas que já perceberam isso, o marketing de redes sociais ganhou grande relevância se tornando indispensável.

O Marketing Digital é uma das áreas do Marketing que vem crescendo exponencialmente, dentre os profissionais e, infelizmente, crescendo também dentre os amadores que buscam atalhos e formas de ficarem “ricos” sem precisar estudar ou se esforçar. Uma eterna ilusão de alguns. Assim como a “era dos coachs” hoje vivemos a “era dos Social Media” ou “fake-media”, como alguns profissionais do segmento, sérios, apelidaram. Pessoas que sequer entendem o objetivo da profissão e que se apresentam como gestores de tráfego, designers e por aí vai. Veja bem, existem os Social Media, mas para isso é preciso cursar uma faculdade de no mínimo dois anos, e depois um curso de especialização. Qualquer coisa fora deste padrão, não é legítimo.

Dentre tantas funcionalidades, o Marketing tem a importante missão de fazer uma empresa crescer do zero, ou de fazer esta se posicionar melhor no mercado. Uma atividade que exige não apenas habilidades de montar uma arte e agendar postagens na internet, mas que envolve Knwo-how, estudo, analises de dados, estatísticas além de diversas outras qualidades para identificar falhas e traçar estratégias para melhorar desempenhos e buscar os resultados esperados pelo cliente. Missão que para muitos experientes do Marketing, ainda representa um enorme desafio, mesmo estes tendo estudado muito para isso, imagine para quem não estudou?

Como dizia Dan Zarella - “Marketing sem dados é como dirigir com os olhos fechados”, sem o devido embasamento, escolher um “fake-media” sem preparo teórico para fazer a comunicação do seu negócio com seus clientes, seria o mesmo que apostar sua empresa em um cassino, e torcer para a sorte estar com você.

A cultura do “filho da minha amiga faz direitinho”, não funciona aqui, o mundo da internet gira em torno da credibilidade e autoridade que você pode passar, algo difícil de se conquistar e facílimo de se perder. Uma postagem em uma festa, durante uma pandemia (por uma ausência de orientação do social media) pode fazer anos de um blogueiro e seus miliares de seguidores irem em um piscar de olhos para o lixo. Credibilidade e autoridade, nenhum destes pilares surgirão a partir do amadorismo. Se os empresários tivessem todo o cuidado que tem ao escolher: o local de sua loja; sócios; produtos que serão vendidos; onde depositarão o dinheiro das vendas, na escolha dos profissionais de Marketing que representarão sua empresa, e exigissem uma faculdade (qualquer uma) aos candidatos, muitos não fechariam as portas antes dos três anos. Vemos empresas gigantes surgirem do nada com a internet, e empresas sólidas ficarem pra trás com o avanço da internet. Redes Sociais são muito mais que um post bonitinho. Aqui falamos de algoritmos, linguagens, gatilhos, e por aí vai. O intuito desta coluna é trazer dicas, novidades, alertas, e experiências de empreendedores aqui da região. Proporcionar um networking sadio, e esclarecer as dúvidas de muitos para evitar que caiam em golpes de "fakes” da profissão. E a dica de hoje é simples, a primeira e a mais importante para iniciarmos este ciclo:

  • Antes de contratar um profissional do Marketing para representar sua empresa, pergunte em qual faculdade ele estudou. Desconfie de pessoas que se oferecem para investir técnicas vazias na comunicação da sua empresa, mas que sequer investiram em si para obter o preparo de uma formação.


JORNALISMO

botão-whatsapp-do-Eletricista.png